30 de abril de 2014

De tanto pensar em dor
Me vem uma calma
Tão frágil como a alma
De quem nunca nega amor

E na imensidão do meu lamento
Todo dia, ou quase, eu tento
Deixar de lado esse tormento
Que minha vida se tornou

Nenhum comentário: